PROFÍCUAS PARCERIAS

Em comemoração aos nove anos de existência, nosso espaço apresentará colunas diárias com distintos e gabaritados colaboradores. De domingo a domingo sempre um novo tema para deleite dos leitores do nosso espaço.

INTUITY BORA BORA JANGA

Siga a sua intuição e conheça aquela que vem se tornando a marca líder de calçados no segmento surfwear nas regiões tropicais do Brasil. Fones: (81) 99886 1544 / (81) 98690 1099.

GUTO GOFFI E UM BANDO PRA LÁ DE MUSICAL

Baterista do Barão Vermelho apresenta álbum que traz inédita de Plínio Araújo, baterista e um dos fundadores da Orquestra Tabajara.

SENHORITA XODÓ

Alimentos saudáveis, de qualidade e feitos com amor! Culinária Brasileira, Gourmet, Pizza, Vegana e Vegetariana. Contato: (81) 99924-5410.

BELEZA, VOZ, VIOLÕES E TALENTO

Em seu primeiro disco, a cantora e instrumentista carioca Alice Passos apresenta uma verdadeira antologia ao violão brasileiro.

HANGOUT MUSICARIA BRASIL

Em novo canal no Youtube, Bruno Negromonte apresenta em informais conversas os mais distintos temas musicais.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

CANÇÕES DE XICO


HISTÓRIA DE MINHAS MÚSICAS – 41



CLARIDÁDIVA

Interessante é que essa música surgiu a partir da criação do neologismo que inventei para dar-lhe título. Achei sugestiva a palavra, que dá uma idéia da claridade advinda do relâmpago anunciando a dádiva de um tempo bom de chuva que está por chegar. A partir do título desenvolvi a letra que veio a ser melodiada por Zeh Rocha, amigo e também parceiro de Lenine. O resultado aí está na interpretação impecável de Geraldo Maia.

CLARIDÁDIVA
Zeh Rocha e Xico Bizerra

claridádiva dos céus,
bem-aventurança, é notícia boa,
anuncia que não foi à toa que a noite virgem toda trovejou
vem ela pra dizer que já chegou
agreste e doce a se derramar,
traz no seu ventre sinais de fartura
essa água benta a fecundar o útero do chão
cai,cai, peneirando meu amor,
chuva me alivia, pingo traz felicidade,
quem semeia colhe paz na terra sã,
cai,cai, peneirando meu amor,
sem mais desesperança
vejo o riso de criança na janela do amanhã

CLUBE DA ESQUINA É CITADO EM LISTA DE MELHORES MÚSICAS DOS ANOS 70

Além dos músicos mineiros, aparecem na lista Caetano Veloso, Tom Zé e Jorge Ben Jor


Clube da Esquina aparece em lista de site americano. (foto: Juvenal Pereira/Divulgacao)


O site americano especializado em música Pitchfork resolveu celebrar a música dos anos 1970. O site publicou uma lista com a relação das 200 melhores músicas do período. 

Entre grandes nomes da música mundial como The Beatles, Pink Floyd, Bruce Springsteen e Michael Jackson, foram citados os mineiros do Clube da Esquina, além de outros ícones da música brasileira como Tom Zé, Jorge Ben Jor e Caetano Veloso. 

O Pitchfork colocou Tudo que você podia ser na posição de número 167. Presente no primeiro álbum do coletivo formado por Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes e Toninho Horta na capital mineira, a canção é descrita como ''inspiradora'' com uma letra ''cuidadosamente composta''. 

Caetano Veloso aparece na 73ª posição com a música You don't know me, do álbum Transa, um de seus trabalhos mais celebrados no mundo todo. Tom Zé ocupa a 191ª posição com a música Dói, e Jorge Ben fica em 196ª com Taj mahal. 

O primeiro lugar foi dado à Life on mars? de David Bowie, lançada em 1971.

DILERMANO REIS, 100 ANOS

Por Tony Calaça


quinta-feira, 29 de setembro de 2016

GRAMOPHONE DO HORTÊNCIO

Por Luciano Hortêncio*


"Polca alegre e saltitante, matriz TA-1097. Anarriê..." (Samuel Machado Filho)


Canção: Pererequê

Composição: Luizinho e Zezinha

Intérprete - Zezinha

Ano - 1952

Disco Todamérica - TA-5.212-A


* Luciano Hortêncio é titular de um canal homônimo ao seu nome no Youtube onde estão mais de 10.000 pessoas inscritas. O mesmo é alimentado constantemente por vídeos musicais de excelente qualidade sem fins lucrativos).

ROBERTA MIRANDA, 60 ANOS

Resultado de imagem para Roberta Miranda

Sou de João Pessoa, na Paraíba, meus pais tinham três filhos homens e queriam uma menina. Depois de 17 anos eu nasci, Maria Miranda.

Quando completei oito anos, a família veio tentar a sorte em São Paulo. Meus irmãos se tornaram professores. Eu, concluído o curso colegial, pegava o violão e matava as aulas do cursinho. Queria ser cantora. Apanhei. Fui quase interna, pois eles sonhavam que a única filha fosse professora. Naquele tempo, violão, música e vida noturna não eram o ideal de uma família como a nossa, que migrou para a cidade mais rica do país. Acontece que eu tinha um sonho e uma determinação.

Eu queria ser artista, compositora, cantora. Para isso, trabalhei arduamente por quatorze anos em bares e casas noturnas e me tornei Roberta Miranda.

Em São Miguel Paulista, para onde viemos, descobri que Hermeto Paschoal morava na mesma rua. Fugia para a casa dele e ficava quietinha vendo ele trabalhar. Mamãe ia me buscar, pedia desculpas por eu estar incomodando, mas ele me salvava sempre, dizendo que não atrapalhava em nada. Eu respirava fundo e seguia atrás do meu sonho. Aos 16 anos, comecei a cantar em bares e acabei sendo contratada para abrir os shows do Beco e do Jogral, em São Paulo, na época o reduto da Bossa Nova. Abri show para Fafá de Belém, Rosemary e quem mais estivesse sendo dirigido por Abelardo Figueiredo ou Augusto César Vanucci.

Eu queria cantar, cantar e compor loucamente e, se possível, ser ouvida e entendida. Naturalmente, apareceu um empresário de conversa bonita, dizendo gostar das minhas composições e pensando torná-las conhecidas. Fiquei em êxtase, mas quando soube que o meu nome não seria citado mas que ganharia um bom dinheiro, objeto de extrema necessidade, o meu sonho falou mais alto: não e não. Quero o meu nome aparecendo.

Continuei na minha vida de crooner, até que me aconselharam a ter cuidado com a noite, porque termina por criar alguns vícios perigosos para o canto. Parei por três anos. Enquanto isso trabalhava como maquiadora, assistente de estúdio, qualquer coisa que me permitisse comer e compor. Fiz 400 composições e bicos que me aproximavam dos artistas, das gravadoras, para oferecer as minhas músicas. Até que um dia mostrei "Majestade, o Sabiá", numa gravadora. Eles gostaram muito e resolveram gravar. Foi um super sucesso e Jair Rodrigues vendeu quase um milhão de discos. Ainda não havia chegado a vez da cantora Roberta Miranda, mas a compositora fora reconhecida. Era um começo, pensei. Finalmente, gravei o meu primeiro disco. Eu tinha tanta sede, tanta vontade de vencer que perguntei ao meu maestro, Nelson Oscar, quantos discos teria que vender para que a gravadora me desse a oportunidade de gravar o segundo disco. Ele falou: "Roberta, para você pagar todo os custos terá que vender 5.000 cópias". Eu pensei: "Vendo de porta em porta, vendo para minha família, vendo para os meus amigos", cheia de empolgação. De repente, lancei o disco que tem a música "São tantas coisas", como carro chefe. Viajei durante oito meses, por todo o Brasil divulgando o trabalho e um dia cheguei à fábrica da gravadora Continental e vi um caminhão carregado de discos. Eu, na maior simplicidade, cheia de curiosidade, comentei com o carregador: "Nossa, quantos discos!...Quantos têm aí? E ele respondeu que eram 100.000 cópias. "Quem é o artista?", Perguntei. "É tudo seu, Roberta Miranda"...Fiquei parada, levitando, sentindo o chão fugir.

Depois de tanto me degladiar com o machismo, o venci às custas do meu talento e do desafio de dizer uma frase de extrema simplicidade e de grandes implicações. Não é fácil dizer EU QUERO.

A mulher nasceu com todos os requisitos para ser vencedora. Só precisa tomar conhecimento do valor que representa a coragem de querer.




LOGO NO COMEÇO

Durante os 14 anos em que trabalhou como crooner nas casas noturnas de São Paulo, Roberta Miranda esperava a oportunidade de gravar. E foi conduzida por este sonho que ela impulsionou a sua carreira. Em sua história de vida nunca faltaram lutas e desafios, situações que ela soube administrar e transformá-las em conquistas marcantes. Roberta Miranda, portanto, deve ser considerada uma vencedora, a partir de seu estilo inconfundível e da busca incessante da qualidade em tudo o que faz. Seu público compreende este processo e é exatamente para os seus milhões de admiradores que a cantora e compositora continua a se mostrar inteira, procurando sempre se superar. Hoje, Roberta Miranda alcançou a marca de 18 milhões de discos vendidos.


OS PRIMEIROS SUCESSOS


"No camarim e em casa, ela compunha muito. Um dia uma estrela faltou, foi chamada às pressas, sabia o roteiro de cor e abafou num solo com Pedrinho Mattar. Tomou coragem e escreveu às gravadoras RCA e CBS, oferecendo-se como intérprete. A resposta da indústria do disco: já tem muita mulher cantando, passar bem, obrigado. Subiu as paredes. Foi trabalhar como assistente de estúdio. Levava mel, rapadura e paçoca para as duplas sertanejas, fazia a maquiagem dos artistas para as capas de discos." Carlos Arruda - O Estado de São Paulo (28/11/87)."

1986 - Lança-se como cantora. Sai o primeiro disco intitulado Roberta Miranda. Em pouquíssimo tempo, as canções Meu Dengo, Chuva de Amor e São tantas coisas se tornam enorme sucesso. Resultado: Primeira artista da história da música popular brasileira a vender mais de 1,5 milhão de cópias. Discos de Ouro e de Platina.

1987 - O segundo Roberta Miranda e o estouro de Vá com Deus, Esperança e Rei dos Reis resulta em quase um milhão de cópias vendidas. Roberta Miranda, carismática, conquista definitivamente o público, além de se tornar uma das compositoras mais requisitadas do Brasil.

1988 - Shows em São Paulo, capital e interior, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul e Pará. Foram 150 apresentações.

1989 - A popularidade lhe rende o título de RAINHA DA CANÇÃO SERTANEJA. Em seu novo Roberta Miranda, canta com o coração, mantendo a emoção à flor da pele, ao demonstrar maturidade de grande intérprete. Show no Anhembi dirigido por Ronaldo Bôscoli.


O TEMPO DA COLHEITA


1990 - O quarto disco da carreira, com destaque para as canções Marcas e Tudo em Você me Atrai. A música sertaneja já é considerada um fenômeno nacional. É o ano em que ela vai para Angola e cria o maior transtorno: as mulheres declaram greve de sexo aos seus parceiros, caso eles não comparecessem com os ingressos para o show de Roberta Miranda.

1991 - Dirigida por Walter Lacet, estréia no Rio de Janeiro, no Canecão.

1992 - Um novo sucesso: SOL DA MINHA VIDA, primeiro disco que não leva o nome da cantora. No repertório, oito músicas de sua autoria, incluindo uma homenagem à terra natal (Tambaú), um bolero (Lição de vida) e uma regravação (Desespero de uma Noite). Já são seis anos de estrada e mais de cinco milhões de discos vendidos, representando 15 Discos de Platina.

1993 - Roberta Miranda chega ao sexto lançamento em sua carreira e conquista o coração dos portugueses, batendo a marca de mais de um milhão de cópias vendidas naquele país. O sucesso lhe rendeu um Disco de Platina duplo, sendo que naquela época Roberta ainda não havia se apresentado por lá. No Rio de Janeiro e São Paulo, show dirigido por Eduardo Dusek.

1994 - Sucesso absoluto com mais um disco e a canção Vem pra Mim. Um ano difícil para Roberta.

1995 - Chega às lojas o oitavo trabalho. A canção Mistério é um hit nas rádios.

1996 - Novo disco, onde se encontra o forró tradicional e a primeira gravação que Roberta faz de uma música de Roberto Carlos, Eu te Amo, te Amo, te Amo. Sucesso com Um minuto a Mais, balada romântica que conta a história de um amor relâmpago que entra na trilha sonora da novela "O REI DO GADO". No Rio de Janeiro, ela estréia um show dirigido por Waly Salomão. Shows em Portugal e nos Estados Unidos.

1997 - Lançamento de VIDA, décimo disco da carreira e primeiro pela PolyGram, além da sonhada gravação de Majestade, o Sabiá, música que a tornou conhecida no meio artístico, vendendo acima de 800.000 cópias na voz de Jair Rodrigues. O Disco de Ouro veio em tempo recorde: 140 mil cópias vendidas em dez dias. Roberta Miranda ocupa o posto de uma das cantoras mais bem-sucedidas do Brasil, com vendas sempre superiores a 400.000 cópias.



1998 - Uma trilha de amor que seguindo a tradição, inclui um forró, músicas suas, versões, um fado e um bolero. 1998 foi o ano de PAIXÃO, e do lançamento do site da cantora.

1999 - Um ano muito especial na vida de Roberta, que realizou um antigo projeto de cantar com o rei Reginaldo Rossi e fez um disco - Caminhos - bem mais autoral do que os dois últimos. Retorna à Angola, para inicialmente para quatro apresentações, que se transformaram em seis shows em apenas uma semana, em Luanda. Ela está de bem com a vida, muito bem e com novas esperanças.

2000 - Renovou o contrato com a Gravadora Universal e lançou o disco A Majestade, O Sabiá. O primeiro ao vivo, uma releitura de seus grandes sucessos e algumas boas novidades. Uma delas a música Um Dia De Domingo, de Sullivan e Massadas, um clássico da melhor música romântica, que voltou a frequentar as paradas de sucessos.

2001 - O CD Histórias de Amor foi distribuído para as lojas em março. Roberta sorrindo na capa reforça o clima alegre das faixas, que vão do forró ao bolero mambo, sempre falando de amores, sedução, coisas da vida... Faz Amor Comigo, de Michael Sullivan e Carlos Colla, chega às rádios para confirmar o sucesso deste novo trabalho. Em novembro deste ano lança o CD Tudo isto é Fado, com clássicos como Ai, Mouraria, Nem às paredes confesso e Só nós dois. Um presente de final de ano para os fãs daqui e do velho continente, e uma homenagem de Roberta a rainha do fado, Amália Rodrigues.

2002 - Pele de Amor é lançado no finalzinho de Agosto. O disco é o décimo sexto registro de seu trabalho de compositora e intérprete, que comprova, mais uma vez, a experiência e a sabedoria, adquiridas ao longo dos dezesseis anos de sua carreira, incomparavelmente bem-sucedida. Ao mesmo tempo, ao viajar por cada uma de suas 13 faixas, Pele de Amor ainda mostra um pouco da sempre-menina Roberta, aquela que na adolescência, seguiu corajosa e determinada seu sonho de ser artista.

2004 - É o ano de Alma Sertaneja. O esperado 17º disco da cantora é lançado em abril pelo selo da Maynard Music, gravadora criada por Marcos Maynard. O disco mescla a pureza da música da raiz sertaneja com o romantismo exacerbado em um total de 14 canções. Ainda antes do lançamento do disco, as rádios do país já executavam a balada Dois Em Um (Roberta Miranda), primeira faixa de trabalho, que fala do amor pleno, da entrega total.


2008 - SENHORA RAIZ OU DE COMO SE FAZ UMA DECLARAÇÃO DE AMOR (Texto de autoria de Bibi Ferreira)


Resultado de imagem para roberta miranda e bibi ferreira

Senhora Raiz vem confirmar o que todos nós sabemos: Roberta Miranda é dona de uma voz excepcionalmente bonita que, aliada a sua qualidade vocal, faz dela essa potência popular. Com mais de 20 anos de carreira, 20 discos gravados e mais de 18 milhões de discos vendidos é, sem dúvida nenhuma, a maior cantora de seu gênero na música brasileira. A explicação para o sucesso de Roberta? Elementar meu caro Watson, seu talento. Talento que ela utiliza a seu favor na hora da pesquisa do repertório, verdadeira garimpeira de tesouros, capaz de transitar entre uma guarânia, Meu Primeiro Amor (José Fortuna, H. Gimenez e Pinheiro Jr.), Tristeza do Jeca (Angelino de Oliveira) imenso sucesso popular do filme homônimo com Mazzaropi no papel título – os mais jovens podem até desconhecer o filme mas graças a regravações como essa jamais esquecerão a música – e Guacira, parceria do maestro e grande erudito, Hekel Tavares com Joracy Camargo. Roberta não faz por menos e convida ninguém menos que Maria Bethânia para cantar com ela. Para os que vão reclamar da ausência de músicas da própria Roberta, que além de cantar e encantar, ainda compõe, um momento supremo de delicadeza com A Majestade, o Sabiá, com certeza seu maior sucesso autoral no gênero e que não poderia ficar de fora. Mas as preocupações e o cuidado de Roberta, ultrapassam o conteúdo, ela quer cuidar também da forma, e embala para presente essas obras servindo-se de uma orquestra de músicos eruditos, que ela alia aos músicos sertanejos. Sutileza e elegância garantidas. Artista que sou, impossível não me identificar com os versos de Viajante Solitário (Edinho da Matta/Cezar Meridional): “ Minha vida é viajar, sou o amor que alguém espera / Sou o portador da alegria... (...) / Sou o artista da estrada/ (...) passo e deixo uma saudade....sempre chora um coração...” Afinal, foi numa dessas inúmeras viagens que marcam a vida dos artistas que nossos caminhos se cruzaram....estávamos num aeroporto, indo não sei pra onde ou chegando de onde também não sei, quando Roberta se aproximou e me perguntou se poderia dirigi-la no show de lançamento do seu disco Pele de Amor. Convite inesperado, mas prontamente aceito. Como foi esse para escrever esse release. Ouvindo SENHORA RAIZ “meus pensamentos tomam forma e eu viajo” pensando nos muitos corações que hão de se emocionar com essa viagem, então não mais solitária, de Roberta Miranda ao mundo da legítima música sertaneja de raiz. Aquela que é tocada nas rodas de viola, por boiadeiros, caminhoneiros e lavradores. Mais do que uma declaração de amor que marca uma volta às suas origens de grande parte do povo desse nosso Brasil, aquele que normalmente deixamos à margem, e do qual Roberta Miranda é verdadeira representante, diria mesmo, porta-voz....E que voz!

2013 - Há 25 anos surgiu uma cantora que revolucionou a música sertaneja: Roberta Miranda. Uma mulher para mudar a história do segmento dominado por duplas masculinas, onde até mesmo o fato de ser solo causava estranheza. A paraibana Maria de Albuquerque Miranda conquistou o titulo de "rainha da música sertaneja", e se tornou a terceira cantora brasileira a vender mais discos no Brasil, foram 18 milhões. Roberta Miranda 25 Anos Ao Vivo Em Estúdio é uma viagem ao universo de uma das cantoras e compositoras mais respeitadas de todos os tempos.

Roberta Miranda ainda lembra quando passava os dias visitando rádios para divulgar seu trabalho. Lembra também, das poucas horas dormidas naquela época, tudo para tornar seu sonho realidade. Mas sua memória mais marcante foi quando chegou ao estacionamento da gravadora Continental e viu um caminhão sendo carregado com milhares de discos, ainda nos tempos do vinil, e comentou com um dos carregadores: “Que coisa boa ver tantos discos assim!”, para sua surpresa, teve a seguinte resposta – “São todos seus Dona Roberta”. Era o primeiro de Roberta Miranda e vendeu mais de um milhão e meio de cópias.

Esta é somente uma de tantas outras histórias desta artista, que tem em seu currículo mais de 700 composições e clássicos do cancioneiro nacional. Em Roberta Miranda 25 Anos Ao Vivo Em Estúdio temos uma releitura de suas principais obras. O critério de escolha foi incluir canções com vendagem superior a 500 mil. Além de duas faixas inéditas: “Quem sentiu”, com a participação da amiga Alcione, e “Onde mora o coração”. Roberta também traz uma interpretação vigorosa e única à regravação de “Café da manhã" (Roberto/Erasmo Carlos). Nos extras, depoimentos marcantes como de Roberto Carlos, onde o cantor comenta sobre a verdade na interpretação de Roberta Miranda, e a impressionante declaração do critico musical Zuza Homem de Mello que classifica a cantora como “... pertencente da alta linhagem da canção brasileira”.




Discografia Oficial

Volume 01 (1986)

Faixas:
01 - São tantas coisas
02 - Chuva de amor
03 - Bem vinda
04 - Na hora H
05 - Maria de José
06 - Senhor
07 - Meu dengo
08 - Maria
09 - Onde Andará
10 - Anseios
11 - O Que Sera De Mim Nesta Cidade
12 - Desespero de uma noite



Volume 2 (1987)


Faixas:
01 - Rei dos Reis
02 - Dodói
03 - Meu Grande Bem
04 - Fantasia
05 - Esperança
06 - Pequeno Guerreiro
07 - Vá Com Deus
08 - Saudade
09 - Loucura
10 - Querido Velho
11 - Eterno Chorar
12 - Minha Vida



Volume 3 (1989)


Faixas:
01 - Vamos Falar De Nós
02 - Que Amor É Esse
03 - Velhos Tempos
04 - Amor Platônico
05 - Conflitos
06 - Não Se Avexe, Não
07 - Dói
08 - Meu Amor
09 - Estou Aqui
10 - Luiz Brasil Gonzaga
11 - Teu Nome
12 - Aos Insensíveis


Volume 4 (1990)


Faixas:
01 - Marcas
02 - Tudo em você me atrai
03 - Meus momentos
04 - Este bem
05 - Faz isto não
06 - Xangô
07 - Outra vez
08 - Enquanto houver coração
09 - Duas taças
10 - Graças a Deus
11 - Dia D
12 - Decisões


Coletâneas (1990)


Faixas:
01 - São tantas coisas
02 - Rei dos Reis
03 - Benvinda
04 - Esperança
05 - Meu Dengo
06 - Vamos Falar de Nós
07 - Dói
08 - Que Amor é Esse
09 - Amor Platônico
10 - Onde Andará
11 - Velhos Tempos
12 - Não se Avexe, Não
13 - Chuva de Amor
14 - Luar do Sertão
15 - Vá com Deus


Sol da Minha Vida (1992)

Faixas:
01 - Sol da minha vida
02 - Em forma de canção
03 - Você dentro de mim
04 - Desiguais
05 - Tambaú
06 - Faz
07 - Lição de vida
08 - Vem pra cá
09 - Liberdade
10 - De todo coração
11 - Hora de acordar
12 - Desespero de uma noite
13 - Cabecinha no ombro
14 - Galope


Tinha que Acontecer (1993)


Faixas:
01 - Tinha que acontecer
02 - Champagne
03 - Bom dia, tristeza
04 - Às vezes tu, às vezes eu (As Veces tu, A veces Yo)
05 - Rosas
06 - Vida
07 - Que vá a luta
08 - Um outro rosto
09 - Tudo acabado
10 - Filha do chão
11 - Um novo amor
12 - Não brinque comigo não
13 - Rei da natureza


Vem Pra Mim (1994)

Faixas:
01 - Paixão
02 - Ideal
03 - Anjo meu
04 - Companheira da noite
05 - Só se for amanhã
06 - Meu chão
07 - Vem pra mim
08 - Muito estranho
09 - Meu amor bandido
10 - Teu adeus
11 - Me dá um beijo
12 - Mutação


Mistério (1995)


Faixas:
01 - Mistério
02 - Moreno
03 - Interesseira
04 - Vamos bailar
05 - Você criou raiz
06 - Canção do mar
07 - Eu sou você
08 - Mais uma vez
09 - Madrugada amiga
10 - É preciso saber
11 - Carinho
12 - Conselho



Volume 9 (1996)


Faixas:
01 - Um minuto a mais
02 - Eu te amo, te amo, te amo
03 - Pimenta malagueta
04 - Caminhos
05 - Amor incandescente
06 - Ninguém me viu chorar
07 - Pra ninguém ficar parado
08 - O sol da manhã
09 - Dança das chamas
10 - Chuva de amor
11 - Vai andorinha
12 - Chamego e remelexo




Vida (1997)


Faixas:
01 - A mulher em mim
02 - Ídolo de pano
03 - Vida que te quero vida
04 - Vida dividida
05 - O amor que chega
06 - De tanto amor
07 - Majestade, o sabiá
08 - Colo das manhãs
09 - Se chama amor
10 - Deus como te amo
11 - Tô querendo (esse tempo todo)
12 - Só quero te dizer


Paixão (1998)

Faixas:
01 - Pobre esperança (Pobre Mi Esperanza)
02 - Sempre mais (Baby can I hold you)
03 - Tá por fora / Absoluta
04 - Recordações
05 - Que pena
06 - É amor demais
07 - O preço da paixão
08 - Pedacinhos
09 - Me cobre de beijos
10 - Olhos castanhos
11 - Máscara
12 - Seu amor ainda é tudo
13 - Ta-hí
14 - Meu país


Caminhos (1999)


Faixas:
01 - Se é pra brincar de amor
02 - Amanhã (Mañana)
03 - No coração, a paixão, na cabeça, o ciúme
04 - Voz de Deus
05 - Eu quero confessar (Hoy Quiero Confesarme)
06 - Quero você pra mim
07 - Além de mim
08 - Fim de conversa
09 - Não tem pra ninguém
10 - Cowboy dos sonhos
11 - Melhor que seja agora
12 - Fantasmas
13 - Caminhei



A Majestade, o Sabiá - Ao Vivo(2000)

Faixas:
01 - Estrada da vida
02 - Um dia de domingo
03 - Cadê você ?
04 - Outra vez
05 - Tudo acabado
06 - Dói
07 - Marcas
08 - Criamos raízes
09 - Garçom
10 - Amanhã / Manãna
11 - Meu dengo
12 - A mulher em mim (The woman in me)(Needs The man In You)
13 - A majestade, o sabiá
14 - De igual pra igual
15 - Duas taças
16 - São tantas coisas
17 - Sol da minha vida
18 - Eu te amo, te amo, te amo
19 - Tinha que acontecer
20 - Vá com Deus



Histórias de Amor (2001)


Faixas:
01 - Chora no meu colo
02 - Perder você
03 - Deixando a vida fluir
04 - Faz amor comigo
05 - Tenho medo
06 - Atração fatal
07 - Tá difícil esquecer
08 - Anel brilhante
09 - Me devolva a vida
10 - Estou só
11 - A vida é um carnaval (La Vida Es Un Carnaval)
12 - Terra genuína
13 - Bolero nunca mais
14 - A Rural II



Tudo Isto é Fado (2001)

Faixas:
01 - Pot-Pourri poema”O Fado da Ilusão” Estranha forma de vida
02 - Só nós dois
03 - Ai Mouraria
04 - Maldição
05 - Nem às Paredes Confesso
06 - Amor dos Meus Amores
07 - Valeu a Pena
08 - Gaivota
09 - Perseguição
10 - Foi Deus
11 - Lágrima
12 - Tudo isto é Fado
13 - Lisboa Antiga



Pele de Amor (2002)

Faixas:
01 - Eu acho que estou perdendo você
02 - Pele de amor
03 - Vício de amar
04 - Não acredito
05 - Metade coração, metade aço
06 - Não tem jeito, não
07 - Quarto e sala
08 - Sem a sombra da dor
09 - Além da cama
10 - Você não vem
11 - Meu bem, meu mal
12 - Jogo de damas
13 - Ne me quitte pas



A Mulher em Mim (2003)

Faixas:
01 - A mulher em mim
02 - Atração fatal
03 - Eu acho que estou perdendo você
04 - Pele de amor
05 - Deus como te amo
06 - A Rural II
07 - Além da cama
08 - Faz amor comigo
09 - Amanhã (Mañana)
10 - Ne me quitte pas
11 - Sempre mais (Baby can I hold you)
12 - Majestade, o sabiá
13 - Outra vez (Ao Vivo)
14 - Um dia de domingo



Alma Sertaneja (2004)

Faixas:
01 - Dois em um
02 - É mentira
03 - História do sertão
04 - Amigos e nada mais
05 - Quando será
06 - Vai
07 - Alma sertaneja
08 - Qual de nós dois se vai?
09 - Minha história de amor?
10 - Coração socialista
11 - Coração de uma mulher
12 - Cartas e bilhetes
13 - Te deixo só
14 - Vou botar você na linha



Acústico Ao Vivo (2005)


Faixas:
01 - Majestade, o Sabiá
02 - O Pior Já Passou
03 - Um Minuto a Mais
04 - De igual pra igual
05 - Foi Você Quem Quis
06 - Vamos falar de nós
07 - Eu Quero Sempre Mais
08 - O ideal pra mim
09 - Lembranças
10 - Sem lado esquerdo (Sin lado izquierdo)
11 - Mais uma vez
12 - Peão do mundo inteiro
13 - Meus momentos
14 - Vá Com Deus



Senhora Raiz (2008)

Faixas:
01 - Meu Primeiro Amor (You´re Going To)
02 - A Majestade o Sabiá
03 - Nova Flor - Homem Não Deve Chorar
04 - Chalana
05 - Lembrança
06 - Vá pro Inferno com Seu Amor
07 - Tristeza do Jeca
08 - Telefone Mudo
09 - Você é Tudo que Pedi pra Deus
10 - Colcha de Retalhos
11 - Viajante Solitário - O Comboio
12 - Guacira
13 - Tardes Morenas de Mato Grosso



Sorrir faz a vida valer (2010)

Faixas:
01 - Sorrir faz a vida valer
02 - Alô
03 - História de amor
04 - Meus direitos
05 - Forrépeando
06 - Digitais
07 - Olhos do amor
08 - Rei dos reis
09 - Só quem ama sabe
10 - Por você esqueci de mim
11 - Esperança
12 - Ilusões
13 - Senhora saudade



Boleros (2011)

Faixas:
01 - Deus como te amo
02 - Eu te amo, te amo, te amo
03 - Vá Com Deus (Ao Vivo)
04 - Marcas
05 - Garçom
06 - Dói
07 - Meu Primeiro Amor (You´re Going To)
08 - Sol da minha vida
09 - Duas taças
10 - Máscara
11 - Se chama amor
12 - Paixão
13 - Cadê você ? (Ao Vivo)
14 - Um Minuto a Mais
15 - Sorrir faz a vida valer
16 - Lição de vida
17 - Ídolo de pano


Roberta Miranda - 25 anos (2013)
Faixas:
01 - Esperando você chegar
02 - Lua de angola
03 - Maria
04 - Dia D
05 - Medo
06 - Dói
07 - São tantas coisas
08 - Duas taças
09 - Café da manhã
10 - Pot-pourri: carinho / tô querendo (esse tempo todo) / me dá um beijo
11 - É amor demais
12 - Quem sentiu (Part. Alcione)
13 - Majestade, o sabiá
14 - Vá com Deus
15 - Onde mora o coração

Roberta Miranca canta Roberto Carlos (2015)
Resultado de imagem para Roberta Miranda canta Roberto Carlos (2015)

Faixas:
01 - As Canções Que Você Fez Pra Mim
02 - Fera Ferida
03 - O Show Já Terminou
04 - Quando Eu Quero Falar Com Deus
05 - Como É Grande o Meu Amor por Você
06 - Se Você Pensa
07 - A Distância
08 - Do Fundo do Meu Coração
09 - Proposta
10 - Eu Te Darei o Céu
11 - Nossa Senhora
12 - Proposta
13 - Quando Part. Esp. Dudu Braga e RC na Veia

CANTOR LÍRICO PERNAMBUCANO, SUCESSO MUNDIAL, É DESCONHECIDO NO BRASIL

Miguelangelo Cavalcanti vive há 30 anos na Europa e realiza temporadas de óperasem diversos países

Por Adriana Victor


Miguelangelo Cavalcanti em encenação de O Torvador (Verdi), em Praga


Cantor lírico, o barítono Miguelangelo Cavalcanti nasceu e cresceu no Recife. Também foi na cidade que começou a cantar. Mas quem quiser assistir a uma de suas apresentações precisará viajar para outros continentes, como Ásia e Europa. Palcos de países como França, Áustria, Inglaterra, Portugal, República Checa, Coreia do Sul e Japão já receberam espetáculos de ópera com o pernambucano no elenco principal. Há 30 anos morando fora do Brasil, o artista cujos primeiros passos foram guiados por um maestro de frevo é quase um desconhecido em sua terra. “Para mim, é uma situação mais triste do que estranha. E garanto que não sou a único a viver isso”, afirma ele.

Aos 54 anos, fazia 21 que Miguelangelo não visitava o Recife. De volta ao local de nascimento, tentou mostrar por aqui o que vem apresentando a plateias estrangeiras: entrou em contato com o Conservatório Pernambucano de Música, chegou a oferecer um concerto gratuito. Ouviu como resposta que a pauta estava lotada. Um acaso proporcionou aos pernambucanos a sua única apresentação na terra natal, a convite da pianista Elyanna Caldas. No domingo (28/8), ele substituiu um cantor que não pôde participar de concerto na Academia Pernambucana de Letras. A troca deu certo: o recital foi um sucesso. “Miguelangelo é meu amigo desde a encenação da ópera Bastien et Bastienne, de Mozart, na década de 80”, lembra a pianista. “Depois partiu para a Europa onde estudou e iniciou a sua brilhante carreira. O reencontro me encheu de orgulho e emoção.”

Na sua passagem pelo Brasil, ele chegou a ministrar aulas para profissionais e também para crianças carentes em Belém (PA), cidade que tem grande tradição operística, trabalho encabeçado pela Fundação Carlos Gomes.



TRAJETÓRIA

Foi ainda na infância, nas rodas de violão em festas de família, que a voz de Miguelangelo começou a ser notada. O maestro Fernando Borges (1938-1998), um dos grandes do frevo de Pernambuco, decidiu que o menino talentoso precisava estudar e levou-o ao Conservatório. “Comecei a cantar com o maestro José Guedes, depois fiz um curso de música sacra no Seminário Teológico e, por fim, a Universidade Federal de Pernambuco”, lembra o barítono.




A paixão inicial foi a música barroca – cantar óperas não estava nos seus planos. “Era um sonho muito longínquo. Mas cada pessoa que me escutava, dizia: ‘Menino, você tem que ir embora. Vá pra fora.’ Aí eu fui.” O caminho de canto Miguelangelo em terra estrangeira foi trilhado pela Europa: Portugal, Áustria, Suíça e República Checa, onde vive há 15 anos na capital, Praga. “Sou solista residente do Teatro Nacional de Praga. A minha vida é cantar. Eu vivo do canto.” 

Sua estreia em óperas na Europa foi grandiosa: “Meu debute foi ao lado da grande (mezzo-soprano espanhola) Teresa Berganza, cantando uma ópera de Händel, Rinaldo. Também tive a sorte de fazer todas as óperas de Mozart no papel de barítono”. Só doDon Giovanni, ele conta, foram cerca de 150 recitais. O repertório do artista também inclui encenações de obras como Carmem, As Bodas de Fígaro, O Trovador e La Traviata. 

Em 7 de setembro, data em que o Brasil comemora o Dia da Independência, ele já estará de volta a um palco eropeu. Miguelangelo tem apresentação marcada no Teatro Nacional de Praga com a ópera Aida, de Giuseppe Verdi. Há mais seis apresentações agendadas na cidade até o final do ano e a temporada de 2017 também já está reservada. “Os convites chegam com, no mínimo, um ano de antecedência”, revela. 

Um deles o levará a França para um concerto de Natal com um maestro suíço. Miguelangelo fala seis idiomas, além do português: espanhol, italiano, francês, alemão, inglês e checo. Também canta em latim. O artista não pretende mais ficar tanto tempo longe do Recife: tem convite para ministrar masterclass, em 2017, no curso de música da Universidade Federal de Pernambuco. Do que sente falta vivendo lá fora? “Do coração do povo brasileiro e da minha comida nordestina. Disso eu sinto muita falta.”

LinkWithin