PROFÍCUAS PARCERIAS

Gabaritados colunistas e colaboradores, de domingo a domingo, sempre com novos temas.

INTUITY BORA BORA JANGA

Siga a sua intuição e conheça aquela que vem se tornando a marca líder de calçados no segmento surfwear nas regiões tropicais do Brasil. Fones: (81) 99886 1544 / (81) 98690 1099.

ZÉ RENATO - ENTREVISTA EXCLUSIVA

Com 40 anos de carreira, o músico capixaba faz uma retrospectiva biográfica de sua trajetória como instrumentista, compositor e intérpretes em diverso dos projetos nos quais participou.

VERSOS E MELODIAS INCRUSTADAS ENTRE O PLANALTO E O SERTÃO

Embevecido da cultura popular nordestina, Túlio Borges a faz de esteio para os versos e melodias que sustentam a trilogia a que se propõe.

QUEM FOI INALDO VILARIN?

Autor de canções como “Eu e o meu coração” (gravada por nomes como João Gilberto e Maysa), Inaldo Vilarin é mais um na triste estatística de um país sem memória

HANGOUT MUSICARIA BRASIL

Em novo canal no Youtube, Bruno Negromonte apresenta em informais conversas os mais distintos temas musicais.

terça-feira, 24 de abril de 2012

O TALENTO E A SENSIBILIDADE QUE SE DESTACAM NO CAUDALOSO UNIVERSO INSTRUMENTAL BRASILEIRO

Em um repertório que mescla clássicos da MPB, música folclórica e composições próprias, Júlia Tygel apresenta "Entremeados", álbum de estreia desse promissor talento da música instrumental brasileira.

Por Bruno Negromonte



Nós do Musicaria Brasil estamos chegando a publicação de número 1000, porém o maior presente quem ganha somos nós, que ao longo desses anos de convivência com pessoas de diversos países do mundo, agregamos ao nosso espaço não só as agruras de divulgação da cultura da música brasileira, mas também amigos que somamos a cada nova pauta publicada, seja através dos comentários recebidos e publicados em nosso espaço ou através dos contatos vias e-mails que chegam através do meu endereço eletrônico. Fico feliz em saber que a nossa parte humildemente tem sido cumprida e que mesmo não sendo fácil chegamos a essa quantidade de publicações estamos aí sem deixar-se cair na incoerência e prezando sempre pelo o que de melhor podemos apresentar ao nosso público leitor. E é óbvio que nessa publicação de número 1000 não poderíamos deixar de comemorar trazendo ao conhecimento do nosso público leitor mais um grande talento de nossa música, e dessa vez  tal talento vem da música instrumental.


Nascida em Salvador, mas radicada em Campinas desde a infância, Júlia Tygel deu início aos seus estudos ainda criança, quando aos 7 anos começou a estudar piano. Na adolescência, o que era visto por muitos como um hobby, acabou dando vazão a uma musicista empenhada, que trouxe para si uma vida acadêmica, que somando a fatores como empenho, aptidão, sensibilidade e talento a fez então mestre em Etnomusicologia e bacharel em música e composição pela Universidade de Campinas (UNICAMP). Atualmente Júlia cursa doutorado em Música na ECA/USP, na área de análise de repertório do século XX. Além de ter sido bolsista FAPESP na graduação e no mestrado é atualmente bolsista do programa CAPES-Fulbright, realizando parte de seus estudos na City University of New York. Seu embasamento acadêmico a faz uma profissional ímpar, e a soma de todo esse conhecimento teórico ao talento inato não poderia resultar em algo que fosse diferente. Recentemente houve seu debute fonográfico ao qual foi dado o título de Entremeados”, um disco que traz arranjos agradavelmente inovados para clássicos do nosso cancioneiro e também composições da própria Tygel.




Sob produção musical do pianista, compositor, arranjador e produtor musical Benjamim Taubkin a partir do financiamento do Fundo de Investimentos Culturais de Campinas (FICC), “Entremeados” mostra uma artista em plena, poderíamos assim dizer, erupção artística mostrando-se bastante segura, e trazendo consigo, de maneira tênue, o harmonioso equilíbrio entre os universos erudito e popular a partir de arranjos bem elaborados para piano e violoncelo, de modo que já mostra a sua identidade musical a partir de suas execuções ao piano para composições bastante conhecidas do grande público. No repertório do álbum constam nomes como Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Edu Lobo, além de composições próprias e do nosso folclore.


Na tessitura do disco além da Júlia Tygel constam os nomes da sorocabana Adriana Holtz e da também instrumentista Vana Bock nos violoncelos. Holtz, que apesar de ter primeiro sua primeira formação musical no Conservatório Villa-Lobos em piano, tem hoje o violoncelo como grande paixão e faz parte da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo). Já Vana Bock deu início aos estudos musicais aos 12 anos já a partir do violoncelo, especializou-se no instrumento pela Academia Ferenc Liszt, em Budapeste, Hungria e integra a Orquestra Sinfônica da USP e Orquestra Jazz Sinfônica como violoncelistaQuem também figura entre os talentos presentes no álbum é João Taubkin e o seu contrabaixo acústico. João traz em sua bagagem um longo caminho muiscal tendo tocado com diversos artistas ao longo desses anos, dentre os quais Paulo Moura e Luiz Brasil. O disco ainda conta com a participação especial de Thais Nicodemo (piano a quatro mãos).


Júlia (que já participou de diversos festivais de música no Brasil e também no Marrocos, além de já ter apresentado trabalhos de pesquisa nos principais congressos de música não só no Brasil como também em países como Inglaterra e Itália) mostra neste seu álbum de estreia que sabe o que faz, trazendo consigo um imaginário delicado e expressivo sob arranjos camerísticos a partir de uma proposta híbrida entre o erudito e o popular.    É interessante registar que o reconhecimento tem vindo a partir das positivas críticas (tanto do público quanto da imprensa especializada) e das apresentações desse trabalho em lugares como São Paulo e recentemente em Nova York (em locais como Cornelia Street Cafe, Barge Music e Brazilian Endowment for the Arts).





O repertório do disco é aberto com a conhecida canção "Beatriz" (Edu Lobo e Chico Buarque). "Beatriz", que  foi composta para fazer parte da trilha sonora do espetáculo musical "grande circo místico" e teve sua primeira gravação a cargo de Milton Nascimento, traz nesta versão uma roupagem ousada e inédita como pode-se conferir a partir da análise do maestro João Maurício Galindodiretor artístico e regente titular da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo e da Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo: Pra ser franco com vocês, caros ouvintes, pra mim o que a Júlia fez com 'Beatriz' é até superior ao que Liszt fez com 'Bella figlia dell amore' [da ópera 'Rigoletto' de Verdi]. Por exemplo: o comecinho da versão de Júlia pode parecer ter sido feito com notas improvisadas, jogadas ao acaso; mas não: essas notas remetem a um fragmento da melodia original, que corresponde às palavras 'me ensina a não andar com os pés no chão' – e isso, caros ouvintes, é trabalho de verdadeiro compositor. Outro artesanato: Júlia descobriu que era possível fazer o tema em duas vozes, com o violoncelo e o piano dialogando, repetindo as frases da melodia – é o que nós em música chamamos de 'imitação'. (...) E é muito importante lembrar que isso não acontece na versão original do Edu Lobo: foi uma descoberta da Júlia. Eu creio que esses exemplos bastam para mostrar a vocês que ela não estava brincando, não: para fazer essa sua paráfrase, ela pensou, refletiu e trabalhou muito.” O disco ainda conta com outra canção composta por Chico e Edu pertencente a trilha sonora da mesma peça, que é a faixa "Ciranda da Bailarina", outra clássica composição do repertório dos dois artistas.


No álbum também há composições solos tanto de Chico quanto de Edu. De Edu Lobo, a artista apresenta a clássica "Casa Forte", gravada, dentre tantos intérpretes, por Elis Regina em seu álbum "Como e porque", de 1969. Já Chico Buarque figura individualmente no repertório de “Entremeados” assinando "Roda Viva", canção presente no terceiro disco do autor gravado em 1968. Além de também assinar mais uma em parceria com  Vinícius de Moraes intitulada "Valsinha" (composição de 1970). Tom ainda encontra-se presente na autoria de mais duas composições do disco (ambas fruto da profícua e antológica parceria entre ele e o eterno poetinha Vinícius de Moraes): "Eu não existo sem você" e "Estrada Branca" (com Arabesque N. 1', de Claude Debussy). Tais canções foram compostas na década de 50 e tiveram diversas regravações neste meio século de existência, dentre as quais pelas intérpretes Lenita Bruno e Olivia Byington.


Júlia Tygel também deixou o lado autoral aflorar e o mesmo se faz presente em três números registrados no álbum. São eles "Invenção sobre um número telefônico", "Barroca" e "Improviso", que somadas conseguem atender aquilo que a artista almejava a partir do cruzamento de dois mundos aparentemente tão distintos, o popular e o erudito que neste trabalho evidenciam-se e mostram-se unítonos. O disco ainda conta com "Caicó" (canção que permeia o folclore brasileiro) e "Senhorinha" (Paulo César Pinheiro e Guinga), que traz consigo fragmentos do prelúdio da Suíte N. 1 para violoncelo de  J. S. Bach. “Misturar 'Senhorinha' com fragmentos do prelúdio da Suíte N. 1 para violoncelo de Bach não foi um procedimento gratuito: as duas peças combinam-se de maneira surpreendente. E tão ou mais surpreendente é o resultado da combinação da canção 'Estrada Branca', de Jobim, com a 'Arabesque N. 1', de Debussy” define o maestro João Maurício Galindo


 


E é assim, conciliando talento, teoria e acima de tudo sensibilidade que Júlia vem somar forças a um segmento musical, que devido ao afinco de talentos como ela, não se deixa esmorecer apesar de todas as dificuldades. Para encerrar, nada melhor que a sucinta definição de alguém que tem "know-how" suficiente para emitir qualquer opinião sobre música instrumental em nosso país, que é o maestro João Maurício Galindo. Ele a definiu do seguinte modo: Promissora compositora que é Júlia Tygel, uma jovem que, em minha opinião, une talento, inteligência e uma imensa sensibilidade.”Acho que depois dessa não é preciso dizer mais nada, apenas procurem a ouvir!



Maiores Informações:


Contato para shows e aquisição do álbum (e-mail) - contact@juliatygel.com.br
Contato: Erika Breno - (11) 9555 5579 (erika@erikabreno.com.br)
Site Oficial - www.juliatygel.com.br
Facebook (Perfil) - http://www.facebook.com/juliatygel
Facebook (Página) - http://www.facebook.com/juliatygeloficial
Myspace - http://www.myspace.com/juliatygel
Twitter - https://twitter.com/#!/jutygel
Orkut - http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=4616726375202293120
Youtube - http://www.youtube.com/user/juliatygel


O álbum pode ser adquirido através dos seguintes endereços:
Tratore - http://www.tratore.com.br/cd.asp?id=7898515691188
Livraria Cultura - http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=22625275&sid=17717109414416737137425118
FNAC - http://www.fnac.com.br/entremeados-FNAC,,musica-588274-2112.html
Fortaleza (CE) - Desafinado - Tel: (85) 3224 3853
São Paulo (SP) - Livraria do Espaço Unibanco - Tel: (11) 3141 2610
São Paulo (SP) - Pop Discos - Tel: (11) 3083 2564
São Paulo (SP) - Vilar Discos - Tel: (11) 3221 - 8084
São Paulo (SP) - Concerto - Tel: (11) 3539 0048
São Paulo (SP) - Laserland - Tel: (11) 33082 0922


Compra Online:
Rádio Uol - http://www.radio.uol.com.br/#/volume/julia-tygel/entremeados/22624
Amazon.com - http://www.amazon.com/exec/obidos/ASIN/B00595VRQM/iopr-20
Itunes - http://phobos.apple.com/WebObjects/MZStore.woa/wa/viewAlbum?playListId=448504750
emusic - http://www.emusic.com/listen/#/search/music/Julia%20Tygel%20Entremeados/:

sábado, 14 de abril de 2012

JOÃO SABIÁ - ENTREVISTA EXCLUSIVA

Dono de um suingue que pode ser comparado aos grandes nomes do samba rock e soul nacional, Sabiá concede-nos esta entrevista exclusiva para os nossos leitores.



Por Bruno Negromonte



Influenciado pelos grandes nomes de nossa música popular brasileira, tais como Wilson Simonal, Jorge Benjor e Tim Maia, este carioca é dono de um talento nato que o destaca dentro do atual cenário musical brasileiro. João, que ganhou destaque depois de sua participação no reality-show musical Fama (exibido na globo entre os anos de 2002 a 2005) é um artista que soube trilhar um caminho conciso o suficiente para desvincular seu nome rapidamente do programa no qual participou e o projetou. Atualmente, trilhando seu próprio caminho, Sabiá já possui dois álbuns gravados e diversas composições, além de participações em novelas e seriados de TV. Esta é a sua segunda participação em nosso espaço, a primeira foi através da pauta intitulada MINHA TERRA TEM PALMEIRAS ONDE CANTA UM SUINGADO SABIÁ (http://musicariabrasil.blogspot.com.br/2012/02/minha-terra-tem-palmeiras-onde-canta-um.html), onde, de forma sintetizada, é abordada a sua vida e carreira. E apesar de está em fase de produção do seu terceiro álbum (sem título ainda definido), João Sabiá gentilmente disponibilizou-se a nos conceder esta pequena entrevista, onde fala, dentre outras coisas, o ídolo que foi determinante na escolha de sua profissão.




Em sua biografia é possível ver a música presente desde cedo. Há músicos em sua família ou essa predileção se deu exclusivamente pelo fato da rotina da casa do pequeno João?

João Sabiá - Meu Pai era guitarrista e chegou a gravar um disco com sua banda nos anos 60. Depois mudou de profissão mas não abandonou a música. Eu e meu irmão fomos criados com o violão por perto e com bons discos na vitrola.


Nomes como Bebeto, Jorge Ben, Tim Maia e Wilson Simonal fazem-se muito presente em sua sonoridade. De todos esses grandes nomes do samba-rock e soul nacional qual aquele cujo som foi determinante para que você escolhesse a profissão que hoje abraçou?

JS - Wilson Simonal. Ele me fez quede ser cantor. O Jorge BenJor me fez querer ser compositor. O Tim Maia me apresentou a Soul Music e o Bebeto me ensinou o veneno da viola suingada… Todos foram muito importantes.


Artistas de reality-shows musicais como o que propagou você, com raras exceções não conseguem manter as luzes dos holofotes voltadas para si por muito tempo como você as vêm mantendo. Além de talento você teria mais algum ingrediente desta fórmula de sucesso?

JS - Não existe fórmula do sucesso, existe o trabalho verdadeiro. A minha teoria é de que se você tem boas ideias, faz tudo com verdade e trabalha seriamente, o ofício aparece e a história se desenrola. Grandes investimentos, sorte e carinha bonita as vezes fazem a diferença, mas não sustentam uma carreira por muito tempo.


Pisando de Leve” é um álbum que nasceu no furor de sua exposição junto ao programa da Rede Globo, já “My black, My Nêga” vem em um segundo momento onde há bem menos exposição do seu nome. Como tem sido a receptividade do público quanto a esse trabalho?

JS - Não posso reclamar da receptividade de ambos os discos. Hoje vejo que eles são executados e conhecidos de uma forma bem igualitária. Nos shows, quando apresento as músicas autorais, fica bem visível esse envolvimento do público com os dois trabalhos.


A banda 5 no brinco o acompanha de longas datas desde antes mesmo de sua aparição a nível nacional. Hoje depois de 2 álbuns lançados e um projeção de âmbito internacional ela continua firme e forte com você. Gostaria que você falasse um pouco sobre ela e como se deu essa parceria.

JS - Na verdade a banda 5 no Brinco foi fundada por mim em 2003 e sempre foi um projeto que eu capitaneava… Depois do FAMA assumi a carreira solo mas resolvi continuar com o nome da banda. Desde então muitos músicos passaram por aqui e todos contribuíram de alguma forma para a concepção do som da banda. O disco acaba sendo sempre o ponto de partida para a sonoridade dos shows, mas nos ensaios sempre agregamos novas ideias e colaborações da rapaziada. O Léo Guimarães, que produziu o "My Black My Nega" comigo, assina a direção musical do grupo.


Seu mais recente trabalho “My black, My Nêga” é um álbum essencialmente autoral e que tem por característica a sua parceria com o seu irmão Guiga. Como se deu esse processo de concepção do álbum?

JS - Eu e meu irmão sempre estamos compondo alguma coisa nova. Como eu havia gravado o "Pisando de Leve" em 2004/2005 e lançado em 2006, comecei a trabalhar no "My Black" em 2008 com muitas músicas na mão. Assumi que o disco seria autoral e que meu único parceiro seria meu irmão. Quis ter uma identidade forte no trabalho. Fui fundo na mistura do Samba com o Soul e Funk usando como referência os grandes mestres do estilo. Fiz um disco de "balanços bazucas"!


Como se dá o seu processo de composição (seja de maneira solitária ou em companhia de algum parceiro)?

JS - Não tenho um processo fechado para compor, mas geralmente começo tocando violão, cantando algumas músicas que gosto e fico busco alguma melodia ou frase. A partir dai tudo pode acontecer. A fagulha da composição pode aparecer a qualquer momento, basta manter a atenha ligada e se permitir brincar.


Como se deu essa sua incursão em novelas e seriados como ator?
JS - Depois do Fama, em 2004, fui procurado pela atriz e coach Maria Clara Fernandes para um teste como ator na minissérie "Hoje é dia de maria" (TV Globo). Falei que não tinha experiência no assunto mas não foi problema para eles. Acreditei e fui. Passei no teste e ganhei uma nova carreira. Ainda tive a sorte de ser abençoado gravando minha primeira cena com a diva Fernanda Montenegro sendo dirigido por Luiz Fernando Carvalho. Depois disso uma coisa puxou a outra.


Há pretensões de conciliar a carreira de cantor e compositor com a de ator? novos projetos de dramaturgia em vista?

JS - Sim. Já faço essa conciliação a 8 anos…rs As novidades são um longa metragem que participei chamado "A Novela das 8" do diretor Odilon Rocha e que estreia em março nos cinemas. Acabei de filmar um seriado produzido pela Gullane Filmes para a Rede Record que provavelmente irá ao ar em maio. Acredito que minha carreira de ator está apenas começando.


Quais são as expectativas quanto a 2012 em relação a novos projetos?
JS - Estou gravando meu terceiro disco ainda sem título definido. Quero continuar a agenda de shows e fazer o lançamento deste novo trabalho. Levar meu som para o maior número de pessoas que eu conseguir, é o meu caminho!



Maiores informações:

Site Oficial: http://www.joaosabia.com.br/
Youtube: http://www.youtube.com/SABIAVIDEOS
Myspace: http://www.myspace.com/joaosabia
Twitter: https://twitter.com/#!/joao_sabia
Facebook: http://www.facebook.com/joaosabia

Contato para shows:
Guacira Abreu

55 21 7895-2125 ID 24*38732
guaciraabreu@uol.com.br


O álbum pode ser adquirido nos seguintes endereços:

Lojas Americanas:

quinta-feira, 12 de abril de 2012

ROSA PASSOS, 60 ANOS

Este mês, a única brasileira a receber o título de "Doutor Honoris Causa", em Berklee (Universidade de Música de de Boston - EUA) completa 60 anos com uma carreira bastante sedimentada no exterior.

Por Bruno Negromonte



Rosa Passos tem características que a diferenciam do tão combalido contexto musical brasileiro atual. São nuances que surgiram desde 1972, com a sua canção “Mutilados” (composição esta que venceu o Festival da Universidade da Bahia (TV Aratu)) e o seu primeiro álbum lançado em 1979. Esses fatos só fundamentam, por exemplo, os títulos que a ela atribuem atualmente, tais como João Gilberto de saias” e tantos outros que surgiram a partir de sua particular maneira de tocar violão e também de suas elegantes interpretações.

Para a abordagem de seus 60 anos procurei mostrar mais a biografia artística do que necessariamente o pessoal, onde em quase 35 anos de carreira fonográfica a cantora somou a cada novo título um sem fim de adjetivos positivos em sua trajetória. Tudo começou ainda mesmo no final da década de 70, quando lançou o álbum "Recriação" pela Chantecler. O disco traz 10 faixas todas de autoria da artista baiana em parceria com o Fernando de Oliveira e para um disco de estreia a qualidade dos músicos que o compõe é impressionante. Neste disco há a participação de nomes como Gilson Peranzzetta, Luizão Maia e Wilson das Neves.

Apesar de em 1980 ter participado da coletânea “Essas mulheres”, com “Estrela-cine-teatro”, (mais uma parceria com Fernando Oliveira) só 12 anos após o lançamento do primeiro disco enveredou de vez para a música gravando os demais álbuns que compõem a sua discografia. O primeiro depois deste hiato foi "Curare", álbum que traz uma Rosa Passos totalmente intérprete com um repertório seleto e composto por clássicos da música popular brasileira. Dois anos depois ela apresenta "Festa", álbum que mescla composições próprias com artistas da MPB como Edu Lobo, Djavan entre outros.

Em 1994, gravou participação no “Songbook Dorival Caymmi”, interpretando “Valerá a pena” e participou também da trilha sonora da novela “Irmãos Coragem” (Rede Globo), interpretando “Amor em paz” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), incluída no CD “Irmãos Coragem – Trilha sonora da novela da Rede Globo”, lançado em 1995.


O álbum seguinte foi "Pano pra manga" (1996), um álbum que relembra um pouco o início da carreira fonográfica dela por ser um disco predominantemente autoral, contendo parcerias da artista com nomes como Paulo César Pinheiro, Vitor Martins, Ivan Lins e Sérgio Natureza. Além de contar com a participação especial de duas estrelas de nossa MPB: Chico Buarque (em duo na canção "Com açucar, com afeto") e Ivan Lins na canção "Abajur lilás". É válido ressaltar que o ano de 1996 foi um ano profícuo para a artista, pois além do álbum houve também registro de algumas de suas interpretações em trabalhos distintos, como a sua participação no “Songbook Tom Jobim”, interpretando “Caminhos cruzados” e também no “Songbook Edu Lobo”, interpretando “Zanga zangada”. Além disso, apresentou-se como convidada do talentosíssimo músico Oscar Castro-Neves, da noite brasileira do “Jazz at the Bowl”, realizado no Hollywood Bowl, na Califórnia. Sem contar que pela primeira vez em sua carreira vai ao Japão (ao lado do saxofonista Sadao Watanabe) mostrar o seu trabalho.


Depois de sair da gravadora Velas, Rosa grava os seus três álbuns seguintes pelo selo de Almir Chediak: Lumiar. Nesta nova "casa" a artista grava 4 discos, onde os três primeiros, de certo modo, podem até ser considerado como tributos, pois tratam-se da abordagem da obra de três grandes nomes do cancioneiro popular do nosso país: Ary Barroso, Tom Jobim e Dorival Caymmi.

Em parceria com o violonista Lula Galvão, lança em 1997 o CD “Letra & Música Ary Barroso – Rosa Passos & Lula Galvão” e como o próprio título sugere traz a releitura de algumas canções da lavra do compositor Ary Barroso. Neste ano ainda é lançada a sua primeira coletâneaO melhor de Rosa Passos”, álbum este lançado pela gravadora Velas. É desse período também a sua participação no “Songbook Djavan”, onde interpreta duas faixas, em dois dos três volumes: Seduzir” e “Obi”. Ainda em 1997, o cantor americano Kenny Rankin gravou “Those eyes” e “Stay”, versões em inglês de suas canções “Verão” e “Outono”, com participação vocal da autora.


No ano seguinte vem "Rosa Passos canta Tom Jobim", em comemoração aos 40 anos da Bossa Nova, onde a artista regrava temas como por exemplo "Brigas Nunca Mais", "Outra Vez", "Só em Teus Braços" e "Garota de Ipanema", que conta com a participação especial do grande João Donato. Dois anos depois, em 2000, a artista presta uma homenagem ao conterrâneo Dorival Caymmi, onde em mais um trabalho temático interpreta clássicos como "Das Rosas", "Você já foi à Bahia?", "Marina", "O Samba da Minha Terra", "Sábado em Copacabana" e mais oito faixas do mestre baiano.

Em 1999 veio o álbum Morada do samba” onde Rosa Passos retoma o lado autoral com canções como Esmeraldas”, “Pequena música noturna”, “Roseira” e “Alma de blues”, todas com Fernando de Oliveira, “Primavera” e “Morada do samba”, ambas com Walmir Palma, “Marco” e “Nada igual”, ambas com Sergio Natureza. Sem contar também com a participação da cantora em mais dois projetos songbooks: Songbook Chico Buarque” (com as canções “Folhetim” e “Retrato em branco e preto”) e “Songbook João Donato” (com “Fim de sonho” e “A paz”); além de diversos shows no exterior, dentre os quais no Festival de Jazz de Bern e no qüinquagésimo aniversário de celebração da democracia alemã, junto com Paquito D’Rivera e a WDR Big Band por shows em Bonn e Colônia.

Em 2001, apresentou em Nova Orleans com um show solo (voz e violão) de crítica bastante positiva, o que acabou lhe rendendo um convite para gravar o CD “Me and my heart”, lançado no mercado norte-americano em 2002 e no Brasil no ano seguinte sob o título "Eu e meu coração". O álbum conta com faixas com composições próprias e interpretações de artistas diversos tais como Dorival Caymmi (O que é que a baiana tem” e “Dois de fevereiro), Chico Buarque ("Desencontro) e Tom Jobim (“Águas de Março”), além de outros clássicos da MPB.


Esse trabalho ampliou os horizontes fonográficos da artista a fazendo gravar, no mesmo ano, com o contrabaixista norte-americano Ron Carter, o CD “Entre amigos”, contendo as faixas “Insensatez”, “Garota de Ipanema”, “Eu sei que vou te amar” e “O grande amor”, todas de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, “Desafinado” e “Caminhos cruzados”, ambas de Tom Jobim e Newton Mendonça, “Por causa de você” (Tom Jobim e Dolores Duran), “Sorriu para mim” (Garoto e Luis Cláudio), “Bahia Com H” (Denis Brean), “A primeira vez” (Alcebíades Barcelos “Bide” e Armando Marçal) e “Feitio de oração” (Noel Rosa e Vadico). Ainda nesse ano, gravou participação no “Songbook João Bosco”, interpretando, ao lado do violonista Lula Galvão, a canção “Memória da pele” e duas faixas no CD de Alexandre Leão: Roda baiana” (Ivan Lins e Vitor Martins) e “Vai ser melhor” (Alexandre Leão e Manuca Almeida).

Em 2002, lança o álbum "Azul", cujo título é o nome de uma das canções do Djavan presente no álbum. Por falar em Djavan, ele figura no disco com mais quatro canções além da que dá nome ao álbum. São elas Samurai”, “Aliás”, “Açaí” e “A Ilha”, fazendo desta forma o nome de Rosa Passos figurar entre as intérpretes que mais gravaram as canções do alagoano. Além do Djavan há no álbum também nomes como Gilberto Gil (Mancada”, “Ladeira da Preguiça”, “Mar de Copacabana” e “Amor até o fim), João Bosco ( Desenho de giz” e “Quando o amor acontece”, Papel machê” e Dois pra lá, dois pra cá). O disco contou com a participação da Banda Mantiqueira.



No mesmo ano, em viagem aos Estados Unidos, participou no Lincoln Center de Nova York, do evento "Brasil Fest 2002", produzido por Nelson Motta, em homenagem a Elis Regina, para um público de seis mil pessoas e gravou participação especial no CD “
Obrigado, Brazil” , do violoncelista Yo-Yo Ma, nas faixas "Chega de saudade" e "Amor em paz". Este mesmo disco acabou sendo contemplado com o Grammy e gerou uma turnê mundial ao lado do violoncelista e dos outros músicos que participaram do disco. Esse trabalho gerou o CD ao vivo “Obrigado Brazil Live in Concert”, com o clarinetista Paquito D’Rivera e percussionista Cyro Baptista. Os anos de 2003 e 2004, trouxeram para a discografia da cantora o CD “Amorosa”, um tributo ao conterrâneo João Gilberto e que tem o título análogo ao disco de 1977 do homenageado, além de ter participado também do CD "Cartas do Brasil", do baixista japonês Tetsuo Sakurai, onde interpreta a canção "Canção do coração".


Em 2006 lança um projeto acústico que leva o nome de "Rosa". Em um formato voz e violão a cantora interpreta canções de sua lavra como Demasiado Blue”, “Detalhe”, Sutilezas”, Inverno”, Desilusión”, Edredom de sedaalém de também mostrar o seu lado intérprete com canções como “Duas contas(Garoto), Sentado à beira do caminho” (Erasmo Carlos e Roberto Carlos), “Molambo” (Jaime Florence "Meira" e Augusto Mesquita), “Jardim” (Keren Ann Zeidel e Benjamin Biolay), “Não sei o que acontece” (Alexandre Leão) e “Fusión” (Jorge Drexler). Neste mesmo ano, também no mesmo formato voz e violão, a cantora apresentou-se no Carnegie Hall – Zanken Hall interpretando canções de seus discos “Amorosa” e “Rosa” e grandes clássicos da música brasileira. Em 2007, após alguns anos longe dos palcos brasileiros, fez temporada de shows no Teatro Fecap (SP), participou do Festival de Jazz de Tatuí (SP) e apresentou-se junto à Orquestra Jazz Sinfônica no Memorial da América Latina (SP), em homenagem a Elis Regina. Nesse mesmo ano, fez uma série de seis shows no Blue Note de Nova York e ministrou oficinas de música na Berklee College of Music, em Boston, com a presença de alunos e do corpo docente da prestigiada escola.


Ao longo do ano de 2008 lançou o seu décimo quarto álbum sob o título “Romance” e que traz compositores recorrentes nos registro fonográficos da cantora. O repertório do disco conta com as canções “Eu sei que vou te amar” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Por causa de você” (Tom Jobim e Dolores Duran), “Atrás da porta” (Chico Buarque e Francis Hime), “Tatuagem” (Chico Buarque e Ruy Guerra), “Cadê Você (Leila XIV)” (João Donato e Chico Buarque), “Doce presença” (Ivan Lins e Vitor Martins), “Nem eu” (Dorival Caymmi), “Álibi” (Djavan), “Preciso aprender a ser só” (Marcos Valle e Paulo Sergio Valle), “Altos e baixos (Sueli Costa e Aldir Blanc), “Neste mesmo lugar” (Klécius Caldas e Armando Cavalcanti) e “Nossos momentos” (Luis Reis e Haroldo Barbosa).

Em 2011 lançou pela gravadora Biscoito Fino o disco "É luxo só", mais um primoroso trabalho que aborda temas de autores como Zé Kéti, Noel Rosa, Ary Barroso, Custódio Mesquita entre outros. O disco conta com 10 faixas e traz canções como "Olhos Verdes" (Vicente Paiva), "O Amor e a Rosa" (Pernambuco/Antonio Maria Guarda) e "Palhaçada" (Haroldo Barbosa/Luis Reis). Além de clássicos como "As Rosas Não Falam", "Último Desejo", "Três Apitos", "Diz Que Fui Por Aí" entre outros.

E é assim, como uma carreira pautada no boa escolha de um repertório coeso e de bom gosto, que a baiana Rosa Maria Farias Passos chega aos 60 anos de vida presenteando à todos que admiram a boa música brasileira, seja no Brasil ou no exterior. E apesar do pouco reconhecimento no Brasil, mantém sólida carreira internacional, tendo realizado várias apresentações pela Espanha, Alemanha, Suíça, Dinamarca, Noruega, Suécia e também Colômbia, Cuba, Uruguai e Estados Unidos. Parabéns Rosa!



Discografia Rosa Passos


Recriação - Chantecler (LP apenas) (1979)

Faixas:
01 - Recriação (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
02 - Bolero de Esperar (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
03 - Procura-se um Samba (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
04 - Estrela-Cine-Teatro (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
05 - Saudade da Bahia (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
06 - Fossamba (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
07 - Formicida, Corda e Flor (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
08 - Caminho de Santana (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
09 - Noturno (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
10 - Ai, o Fantástico (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)


Curare - Desk Disc (1991) / Velas (1994)
Faixas:
01 - Curare (Bororó)
02 - Fotografia (Tom Jobim)
03 - Tim Tim por Tim Tim (Geraldo Jaques - Haroldo Barbosa)
04 - Coisa Mais Linda (Carlos Lyra - Vinícius de Moraes)
05 - Dindi - (Tom Jobim Aloysio de Oliveira)
06 - Aquarela do Brasil (Ary Barroso)
07 - A Felicidade (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)
08 - Folha Morta (Ary Barroso)
09 - Só Danço Samba (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)
10 - Sim ou Não (Djavan)
11 - O Nosso Amor (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)
12 - Adeus América (Geraldo Jaques - Haroldo Barbosa) / Eu Quero um Samba (Haroldo Barbosa - Janet de Almeida)
13 - Ilusão à Toa (Johnny Alf)


Festa - Velas (1993)
Faixas:
01 - Dunas (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
02 - Candeias (Edu Lobo)
03 - Salada Tropical (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
04 - Juras (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
05 - Festa (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
06 - Causa Perdida (Aldir Blanc - Rosa Passos)
07 - De Flor em Flor (Djavan)
08 - Chuva de Verão (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
09 - Feitiço da Vila (Vadico - Noel Rosa)
10 - Paris de Santos Dummont aos Travestis (Aldir Blanc - Moacyr Luz)
11 - Outono (Rosa Passos/Fernando de Oliveira)
12 - Amor em Paz (Tom Jobim - Vinícius de Moraes) [Incidental music: Summer of 42 (Michel LeGrand)]


Pano Pra Manga - Velas (1996)
Faixas:
01 - Verão (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
02 - Samba com Pressa (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
03 - Com Açúcar, com Afeto (Chico Buarque) (Com Chico Buarque)
04 - Amorosa - (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
05 - Pano pra Manga (Rosa Passos - Paulo César Pinheiro)
06 - Gesto (Rosa Passos - Sérgio Natureza)
07 - Abajur Lilás (Fernando de Oliveira - Ivan Lins - Rosa Passos) (Com Ivan Lins)
08 - Chovendo na Roseira (Tom Jobim)
09 - É Luxo Só (Ary Barroso - Luiz Peixoto)
10 - Espelhos (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
11 - Barcos (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
12 - Samba Sem Você (Rosa Passos - Fernando Oliveira)
13 - Minuano (Rosa Passos - Vitor Martins)


Letra e Música: Ary Barroso (Rosa e Lula Galvão) (1997) (Lumiar Discos)
Faixas:
01 - Morena Boca de Ouro (Ary Barroso)
02 - Folha Morta (Ary Barroso)
03 - No Tabuleiro da Baiana (Ary Barroso) (Com Emílio Santiago)
04 - Inquietação (Ary Barroso)
05 - Foi Ela (Ary Barroso)
06 - Rio de Janeiro (Isto É o Meu Brasil) (Ary Barroso)
07 - Isto Aqui o Que É (Ary Barroso)
08 - Ocultei (Ary Barroso)
09 - Pra Machucar Meu Coração (Ary Barroso)
10 - Faceira (Ary Barroso)
11 - Camisa Amarela (Ary Barroso)
12 - Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso)
13 - Aquarela do Brasil (Ary Barroso)


Rosa Canta Tom Jobim (Lumiar Discos) (1998)
Faixas:
01 - Samba de Uma Nota Só (Newton Mendonça - Tom Jobim)
02 - Corcovado (Tom Jobim)
04 - Garota de Ipanema (Tom Jobim - Vinícius de Moraes) (Com João Donato)
05 - Vivo Sonhando (Tom Jobim)
06 - Insensatez (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)
07 - Desafinado (Newton Mendonça - Tom Jobim)
08 - Chega de Saudade (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)
09 - Meditação (Newton Mendonça - Tom Jobim)
10 - Só em Teus Braços (Tom Jobim)
11 - Inútil Paisagem (Newton Mendonça - Tom Jobim)
12 - Outra Vez (Tom Jobim)
13 - Este Seu Olhar (Tom Jobim)
14 - Esperança Perdida (Billy Blanco - Tom Jobim)
15 - Brigas Nunca Mais (Tom Jobim - Vinícius de Moraes)


Rosa Canta Caymmi (Lumiar Discos) (2000)
Faixas:
01 - Você já foi à Bahia? (Dorival Caymmi)
02 - Marina (Dorival Caymmi)
03 - Só Louco (Dorival Caymmi)
04 - Rosa Morena (Dorival Caymmi)
05 - Sábado em Copacabana (Carlos Guinle - Dorival Caymmi)
06 - Vatapá (Dorival Caymmi)
07 - Você Não Sabe Amar (Hugo Lima - Calos Guinle - Dorival Caymmi)
08 - Milagre (Dorival Caymmi)
09 - Doralice (Dorival Caymmi)
10 - O Bem do Mar (Dorival Caymmi)
11 - Vestido de Bolero (Dorival Caymmi)
12 - O Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi)
13 - Das Rosas (Dorival Caymmi)


Morada do Samba (Lumiar Discos) (1999)
Faixas:
01 - Beiral (Djavan)
02 - Esmeraldas (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
03 - Pequena Música Noturna (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
04 - Roseira (Rosa Passos - Fernando de Oliveira) (Música incidental: Chovendo na Roseira (Tom Jobim))
05 - Primavera (Rosa Passos - Walmir Palma)
06 - Morada do Samba (Rosa Passos - Walmir Palma)
07 - Alma de Blues (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
08 - Marco (Rosa Passos - Sergio Natureza)
09 - Lá Vem a Baiana (Dorival Caymmi)
10 - Nada Igual (Rosa Passos - Sergio Natureza)
11 - Calmaria (Walmir Palma)
12 - Saudade da Bahia (Dorival Caymmi)
13 - Retiro (Paulinho da Viola)


Me and My Heart (USA) (Velas) (2001)
Faixas:
01 - Só Danço Samba (Antônio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
02 - Água Doce (Ivan Lins - Vítor Martins)
03 - Aos Pés da Cruz (Marino Pinto - Zé da Zilda)
04 - Juras (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
05 - Eu e Meu Coração (Inaldo Vilarinho - Antônio Botelho)
06 - O Que É Que a Baiana Tem? (Dorival Caymmi)
07 - Desencontro (Chico Buarque)
08 - Se o Tempo Entendesse (Marino Pinto - Mário Rossi)
09 - Dunas (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
10 - Dois de Fevereiro (Dorival Caymmi)
11 - Surpresas (João Donato - Caetano Veloso)
12 - Minuano (Rosa Passos - Vítor Martins)
13 - Mentiras (João Donato - Ênio Lysias)
14 - Águas de Março (Antônio Carlos Jobim)


Eu E Meu Coração (Brasil) (Velas) (2003)
Faixas:
01 - Só Danço Samba (Antônio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
02 - Água Doce (Ivan Lins - Vítor Martins)
03 - Aos Pés da Cruz (Marino Pinto - Zé da Zilda)
04 - Juras (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
05 - Eu e Meu Coração (Inaldo Vilarinho - Antônio Botelho)
06 - O Que É Que a Baiana Tem? (Dorival Caymmi)
07 - Desencontro (Chico Buarque)
08 - Se o Tempo Entendesse (Marino Pinto - Mário Rossi)
09 - Dunas (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
10 - Dois de Fevereiro (Dorival Caymmi)
11 - Surpresas (João Donato - Caetano Veloso)
12 - Minuano (Rosa Passos - Vítor Martins)
13 - Mentiras (João Donato - Ênio Lysias)
14 - Águas de Março (Antônio Carlos Jobim)


Azul (Chesky) (2002)
Faixas:
01 - Desenho de Giz (Abel Silva - João Bosco)
02 - Samurai (Djavan)
03 - Aliás (Djavan)
04 - Papel Machê (Capinan - João Bosco)
05 - Mancada (Gilberto Gil)
06 - Ladeira da Preguiça (Gilberto Gil)
07 - Azul (Djavan)
08 - Quando o Amor Acontece (Abel Silva - João Bosco)
09 - Açaí (Djavan)
10 - A Ilha (Djavan)
11 - Mar de Copacabana (Gilberto Gil)
12 - Dois Pra Lá, Dois Pra Cá (João Bosco - Aldir Blanc )
13 - Amor Até o Fim (Gilberto Gil)


Entre Amigos (Com Ron Carter) (Chesky) (2003)
Faixas:
01 - Bahia com H (Dennis Brian)
02 - Insensatez (Antonio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
03 - Desafinado (Antonio Carlos Jobim - Newton Ferreira de Mendonça)
04 - Sorriu para Mim (Garoto - Luís Cláudio)
05 - A Primeira Vez (Bide - Marçal)
06 - Garota de Ipanema (Antonio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
07 - Por Causa de Você (Antonio Carlos Jobim - Dolores Duran)
08 - Caminhos Cruzados (Antonio Carlos Jobim - Newton Ferreira de Mendonça)
09 - Feitio de Oração (Noel Rosa)
10 - Eu Sei Que Vou Te Amar (Antonio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
11 - O Grande Amor (Antonio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)


Amorosa (Sony Classical) (2004)
Faixas:
01 - Você Vai Ver (Antônio Carlos Jobim)
02 - Wave (Antônio Carlos Jobim)
03 - Bésame Mucho (Consuelo Velasquez)
04 - Pra que Discutir com Madame (Janet de Almeida - Haroldo Barbosa)
05 - Lobo Bobo (Carlos Lyra - Ronaldo Bôscoli)
06 - O Pato (Jayme Silva - Neuza Teixeira)
07 - Retrato em Branco e Preto (Antônio Carlos Jobim - Chico Buarque)
08 - Eu Sambo Mesmo (Janet de Almeida)
09 - Essa É Pr’o João (Rosa Passos - Arnoldo Medeiros)
10 - Que Reste-t-il de nos Amours (Charles Trenet - Portuguese lyrics by Ronaldo Bastos) (Com Henri Salvador)
11 - 'S Wonderful (George Gershwin - Ira Gershwin)
12 - Chega de Saudade (Antônio Carlos Jobim) (Com Yo-Yo Ma)


Rosa (Telarc) (2006)
Faixas:
01 - Duas Contas (Garoto)
02 - Eu Não Existo Sem Você (Antônio Carlos Jobim - Vinícius de Moraes)
03 - Sutilezas (Rosa Passos - Sérgio Natureza)
04 - Até Quem Sabe (João Donato - Lysias Enio)
05 - Olhos Nos Olhos (Chico Buarque)
06 - Sentado à Beira do Caminho (Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
07 - Molambo (Augusto Mesquita - Jaime Florence)
08 - Jardim (Keren Ann - Benjamin Biolay) (Versão em português por Michelino Silvano e Bia Krieger)
09 - Demasiado Blue (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
10 - Desilusión (Rosa Passos - Santiago Auserón)
11 - Edredon de Seda (Rosa Passos - Arnoldo Medeiros)
12 - Não Sei o Que Acontece (Alexandre Leão)
13 - Detalhe (Rosa Passos - Fernando de Oliveira)
14 - Fusión (Jorge Drexler)
15 - Inverno (Rosa Passos - Walmire Palma)


Romance (Telarc) (2008)
Faixas:
01 - Doce Presença (Ivan Lins/ Vitor Martins)
02 - Nem Eu (Dorival Caymmi)
03 - Eu Sei Que Vou Te Amar (Tom Jobim/Vinícius de Moraes)
04 - Álibi (Djavan)
05 - Preciso Aprender A Ser Só (Marcos Valle/Paulo Sérgio Valle)
06 - Atrás Da Porta (Francis Hime/Chico Buarque)
07 - Tatuagem (Chico Buarque/Ruy Guerra)
08 - Por Causa De Você (Tom Jobim/Dolores Duran)
09 - Altos E Baixos (Sueli Costa/Aldir Blanc)
10 - Cadê Você (João Donato/Chico Buarque)
11 - Neste Mesmo Lugar (Armando Cavalcanti/Klecius Caldas)
12- Nossos Momentos (Luiz Reis/Haroldo Barbosa)


É Luxo Só (Biscoito Fino) (2011)
Faixas:
01 - Olhos Verdes (Vicente Paiva)
02 - As Rosas Não Falam (Cartola)
03 - O Amor e a Rosa (Pernambuco/Antonio Maria Guarda)
04 - Último Desejo (Noel Rosa)
05 - Palhaçada (Haroldo Barbosa/Luis Reis)
06 - Acontece (Cartola)
07 - Diz Que Fui Por Aí (Zé Kéti/Hortencio Rocha)
08 - Saia Do Caminho - (Custódio Mesquita/Ewaldo Ruy)
09 - Três Apitos - (Noel Rosa)
10 - É Luxo Só - (Ary Barroso/Luiz Peixoto)


Samba Dobrado (Universal Music) (2013)

​Faixas:
01 - Pedro Brasil (Djavan, 1981)
02 - Linha do Equador (Djavan e Caetano Veloso, 1992)
03 - Maçã (Djavan, 1987)
04 - Faltando um pedaço (Djavan, 1981)
05 - Capim (Djavan, 1982)
06 - Pétala (Djavan, 1982)
07 - Lei (Djavan, 1986)
08 - Pára raio (Djavan, 1976)
09 - Cigano (Djavan, 1989)
10 - Samba dobrado (Djavan, 1978)
11 - Fato consumado (Djavan, 1975)
12 - Serrado (Djavan, 1978)
13 - Doce menestrel (Rosa Passos e Fernando de Oliveira, 2013)


Rosa Passos canta Ary, Tom e Caymmi (Biscoito Fino) (2015)

Faixas:
​01 - O samba da minha terra (Dorival Caymmi)
02 - Inútil paisagem (Tom Jobim/Newton Mendonça)
03 - Vestido de bolero (Dorival Caymmi)
04 - Garota de Ipanema (Tom Jobim/Vinícius de Moraes)
05 - Marina (Dorival Caymmi)
06 - Morena boca de ouro (Ary Barroso)
07 - Só Louco (Dorival Caymmi)
08 - Vivo Sonhando (Tom Jobim)
09 - Pra machucar meu coração (Ary Barroso)
10 - Vatapá (Dorival Caymmi)
11 - Samba de uma nota só (Tom Jobim/Newton Mendonça)
12-  Camisa amarela (Ary Barroso)
13 - Isto aqui o que é? (Ary Barroso)


Rosa Passos - Ao Vivo (Biscoito Fino)(2016)
Capa_Digital_Rosa-Ao-vivo

Faixas:
01 - Olhos Verdes (Vicente Paiva)
02 - Preciso Aprender A Só Ser (Gilberto Gil)
03 - Verbos Do Amor (João Donato / Abel Silva)
04 - Só Danço Samba(Tom Jobim / Vinícius de Moraes)
05 - Você Vai Ver (Tom Jobim)
06 - Emoções (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
07 - Eu E A Brisa (Johnny Alf)
08 - Capim (Djavan)
09 - A Ilha (Djavan)
10 - Quando O Amor Acontece (João Bosco / Abel Silva)
11 - Meu Bem, Meu Mal (Caetano Veloso)
12 - Deixar Você (Gilberto Gil)
13 - Maçã (Djavan)
14 -Ladeira Da Preguiça (Gilberto Gil)

LinkWithin