terça-feira, 30 de setembro de 2014

KUARUP COLOCA NAS LOJAS DISCOS DE JOÃO BOSCO, ELIETE NEGREIROS E TELMA COSTA QUE ESTAVAM FORA DE CATÁLOGO


Dando seguimento ao trabalho de curadoria que a gravadora Kuarup desenvolve com análise e pesquisa de repertório de álbuns e discos importantes da música popular brasileira que por vários motivos além do desinteresse das gravadoras, estão fora de catálogo e indisponíveis para venda nas lojas físicas e digitais este segundo semestre de 2014 será de muitas boas surpresas para os apreciadores e colecionadores da música de qualidade.

Para esta primeira quinzena de outubro a Kuarup recoloca no mercado um lote de três discos importantes da MPB que nunca foram lançados em CD, álbuns que por muito tempo deixaram de ser vendidos em lojas, trazendo de volta nomes importantes do cenário da música brasileira.

Uma das obras importantes do pacote é o CD Tiro de Misericórdia(foto destaque), quarto trabalho do cantor mineiro João Bosco que consolida sua parceria com o compositor carioca Aldir Blanc. O álbum que foi lançado em 1977 pela gravadora RCA (hoje Sony Music) e nunca lançado em CD traz a participação da cantora Cristina Buarque na faixa Vaso Ruim Não Quebra e destaques para as canções Bijuterias, tema da novela O Astro da Rede Globo e Falso Brilhante.

Outra obra resgatada é o álbum Outros Sons, trabalho de estreia da cantora e compositora Eliete Negreiros, disco que segue artisticamente o movimento da chamada vanguarda paulista. O álbum foi lançado em 1982 pela gravadora Vôo Livre com produção de Arrigo Barnabé e conquistou o prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) na categoria Cantora Revelação do Ano.

Fechando o lote de relançamentos com o CD Telma Costa, primeiro trabalho da cantora mineira, álbum homônimo lançado em 1983 pela gravadora CBS que tem a produção de Dori Caymmi. O disco que traz a participação especial de Caetano Veloso mostra grandes interpretações da artista e mãe da cantora Fernanda Cunha para clássicos como Espelho das Águas do maestro Tom Jobim e Coisa Feita, parceria de João Bosco e Aldir Blanc.

6 comentários:

Anônimo disse...

Elis Regina nunca gravou "Falso Brilhante". O que ela gravou foi "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá", cuja letra tem um verso em que a expressão aparece no fragmento "no dedo um falso brilhante".
"Falso Brilhante", a canção, foi gravada recentemente por Nana Caymmi.

Anônimo disse...

Elis Regina nunca gravou "Falso Brilhante". O que ela gravou foi "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá", cuja letra tem um verso em que a expressão aparece no fragmento "no dedo um falso brilhante".
"Falso Brilhante", a canção, foi gravada recentemente por Nana Caymmi.

Anônimo disse...

Elis Regina nunca gravou "Falso Brilhante". O que ela gravou foi "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá", cuja letra tem um verso em que a expressão aparece no fragmento "no dedo um falso brilhante".
"Falso Brilhante", a canção, foi gravada recentemente por Nana Caymmi.

Anônimo disse...

Elis Regina nunca gravou "Falso Brilhante". O que ela gravou foi "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá", cuja letra tem um verso em que a expressão aparece no fragmento "no dedo um falso brilhante".
"Falso Brilhante", a canção, foi gravada recentemente por Nana Caymmi.

Vilmar Bittencourt disse...

Elis Regina nunca gravou "Falso Brilhante". O que ela gravou foi "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá", cuja letra tem um verso em que a expressão aparece no fragmento "no dedo um falso brilhante".
"Falso Brilhante", a canção, foi gravada recentemente por Nana Caymmi.

Bruno Negromonte disse...

Querida Vilma! Obrigado por atentar para este detalhe. Nos foi enviada pela assessoria de imprensa da Kuarup e não observamos este lapso por parte deles. Ainda bem que podemos contar com a perspicácia de pessoas como você. Realmente a Elis não registrou a canção e a Nana a gravou para o songbook do João salve engano. Obrigado pela colaboração! Abraços sonoros!

LinkWithin